O lugar do corpo na escola: uma leitura a partir de Bourdieu e Foucault

Fabio Zoboli, Adolfo Ramos Lamar

Resumo


Percebe-se, cada vez mais, a presença das relações de poder na sociedade, nos seus mais variados segmentos. Compreender essas relações de poder faz-se necessário, pois sem tal compreensão, dificilmente se poderá alterar efetivamente esses jogos de poder dentro da sociedade. A identificação e compreensão do processo pelo qual se dá a tomada do poder sobre os corpos no ambiente escolar constitui uma preocupação importante na educação. Com essa perspectiva este trabalho, que é fruto de uma pesquisa de mestrado em Educação da FURB, apresenta a escola e sua função social dando maior foco às relações de poder que ali se perpassam. Contextualiza-se o corpo na sua relação com a escola colocando-o numa perspectiva crítica frente aos seus usos e significados na atual conjuntura da sociedade e frente aos valores da ideologia de mercado. Ancorados nesta perspectiva, faz-se uma relação entre o poder dominante e o disciplinamento do corpo através da escola, para que o mesmo através de tal prática se submeta ao que o sistema dominante dele espera. Foram utilizados como fundamentação teórica para este estudo os conceitos de “relações de poder” e “tecnologia política do corpo” de Michel Foucault; e os conceitos de habitus e “reprodução social” de Pierre Bourdieu.

Palavras-chave


corpo; escola; poder; reprodução social

Texto completo:

PDF