A gênese do sujeito piagetiano: pensamento, linguagem e Psicologia Genética

Paulo Gurgel

Resumo


Nesta empresa genealógica nos propomos a identificar as razões da grande popularidade de Jean Piaget e de sua psicologia genética em nosso métier psicopedagógico. Partimos da hipótese de que tendo sido o século XX vivido sob a sombra das luzes, uma das suas mais iluminadas instituições, a escola, tenha necessitado de uma sólida base para reger a produção de sujeitos auto-governados. Propomos, então, que nada mais lógico do que uma sólida teoria sobre a gênese e desenvolvimento da inteligência, a psicologia genética de Jean Piaget, se tornasse uma referência ordenadora dos discursos sobre ensino e aprendizagem já por ocasião do seu alvorecer no início dos anos vinte do século passado. Assistiu-se, assim, o declínio da filosofia e a ascensão da psicologia como lugar de produção do sujeito aluno. Nada mais lógico em tempos

Palavras-chave


genealogia; psicologia genética; métier psicopedagógico

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários