Proposta político-pedagógica do MST e currículo: uma análise das tensões entre sistema oficial de ensino e as escolas de assentamento

Bruna Carolina Albuquerque da Silva, Rui Gomes de Mattos Mesquita

Resumo


Objetivamos, a partir da identificação dos valores político-culturais que caracterizam o ambiente em que se dão as ações pedagógicas do MST, analisar as tensões entre tais ações e a estrutura curricular do sistema oficial de ensino, no que tange à (im)possibilidade de construir trajetórias coletivas de vida. Procedemos a uma observação do cotidiano de uma escola de assentamento no Sertão Pernambucano (Santa Maria da Boa Vista) com vistas a delinear os elementos norteadores dessas tensões. Realizamos, também, entrevistas semi-estruturadas com professores e militantes do MST. A partir das principais características da mencionada experiência, promovemos uma discussão com a teoria do discurso de Ernesto Laclau e analisamos criticamente o conceito de hegemonia em Gramsci e sua apropriação culturalista por Raymond Williams e, nessa esteira, por Michael Apple. Dialogamos com a perspectiva crítica da abordagem curricular deste último, com vistas a propor elementos teóricos capazes de abrir novas perspectivas para a própria prática educativa do MST.

Palavras-chave


currículo, movimentos sociais

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários